terça-feira, maio 27, 2008

Vista do terraço das Piscinas Municipais

(clique na imagem para se indignar)
Tentei outro ângulo, mas esta zona da cidade de Peniche continua a apresentar-se como um decrépito cenário.
Será que não há volta a dar-lhe?

17 contributos:

At 27/5/08 12:44, Blogger xf disse...

se o outro era o windows PX, este deve ser o windows VISTA!!! :)

 
At 27/5/08 12:47, Anonymous Carapau disse...

Situação triste, que se arrasta ao longo de tantos anos. De facto, a Cidade de Peniche, a nossa cidade, é a única que perde com tal "montra".

Cumprimentos,

Carapau

 
At 27/5/08 17:30, Anonymous pb disse...

Bagdad?

 
At 27/5/08 18:36, Anonymous Anónimo disse...

É realmente triste ver que, após tantos anos, aquele acampamento não tenha uma solução. Será possível? Como entender que o tempo vá passando e nada se faça.
Aquela zona é já uma zona central. Além do inestético das barracas, costuma estar por alí muito lixo.
Embeleza-se a entrada da cidade e deixa-se aquela miséria no centro?
Incompreensível!

 
At 27/5/08 18:37, Anonymous Anónimo disse...

E, já agora, para quando uma solução para a central de camionagem da cidade?

 
At 27/5/08 22:46, Anonymous Xalana disse...

Pelos vistos não. A foto deveria servir de screensaver de todos os candidatos ás próximas eleições autárquicas, para os lembrar a toda a hora que as gentes de Peniche, querem, exigem, merecem a solução deste problema de uma vez por todas. Não há volta a dar, não vale a pena investir um centimo em turismo enquanto não resolverem este problema e outros semelhantes a este. Por mim dispensava todo o folclore, todos os festivais, eventos, inaugurações, sorrisos, beijos, abraços, simpatias, fotos e imagens televisivas, pela resolução desta questão, sob o risco de tudo o resto parecer "perolas a porcos".

 
At 28/5/08 00:28, Anonymous Anónimo disse...

E que tal montarmos umas barraquitas em frente à CMP? É tudo nosso... E se fizessemos o mesmo em terreno camarário.... Não entendo, porque não os tiram de lá, será medo??? Sinceramente, não percebo!!!!

 
At 28/5/08 10:07, Anonymous pb disse...

Sim, é medo. Medo de TV's no local no dia do desalojamento, de notícias e fotos nos jornais e de rádios a transmitir em directo do local. Medo de serem acusados de discriminação. Em suma, medo de má "imagem pública".
É a teoria do oásis, em versão penicheira.

 
At 28/5/08 14:20, Anonymous Anónimo disse...

em verdade vos digo que se algum dia aquele que tiver a coragem de pensar faze-lo será apedrejado por aqueles que prometem e nada fazem .porque a evolução de um povo não é feita só de boas noticias é feita de guerras sangue e lagrimas só assim podemos enfrentar o futuro de cabeça erguida comfiantes que fizemos tudo o que podiamos.sem medos em frente!!

 
At 28/5/08 18:20, Anonymous Anónimo disse...

Então, temos de partir do pressuposto que o acampamento (que, nas alturas do Verão, cresce a olhos vistos) não tem solução?!!!
É esta imagem que Peniche irá para sempre dar aos seus habitantes e turistas?
Por favor, senhores do poder local toca a fazer alguma coisa para resolver a situação daquelas pessoas, trazendo-lhes e ao local outra dignidade.
Há muita gente em Peniche atenta aos problemas da cidade e, em especial, a este!
A.C.

 
At 28/5/08 18:24, Anonymous Anónimo disse...

Já referi isto algures mas recordo sempre as palavras de umas visitas que me disseram admirados: Então, vocês também têm cá um "cambodja"!
Portanto, vamos lá trabalhar para resolver o problema. Não há nada (excepto a morte, claro!) que não se consiga solucionar quando há vontade e se trabalha para isso.
A.C.

 
At 28/5/08 19:14, Blogger jp disse...

Atraso um pouco a actualização do blogue para permitir uma discussão construtiva sobre este tema.
Parece estar claro que é unânime a indignação perante esta situação que atenta contra a imagem da nossa cidade.
Agrada-me também registar que, na maioria dos casos, os comentários não pressupõem nenhuma atitude xenófoba.
Falta porém avançar com sugestões para o problema!
Não se pode simplesmente escoltá-los até à Lourinhã!
Também não acredito na via da integração e está provado que, na maioria dos casos, a própria etnia não o pretende. Uma integração forçada nunca resultará e até me parece incorrecto fazê-lo.
A solução passará por encontrar meios de compatibilizar os usos e costumes dos ciganos com um crescimento harmonioso da cidade.
No campo da habitação isso passa obrigatoriamente pela criação dum parque nómada, propriedade camarária, que esta etnia poderá habitar sempre com o estatuto provisório, com as condições adequadas aos seus usos e costumes, e de modo que tal não ponha em causa o harmonioso desenvolvimento urbanístico da cidade.
Nos outros campos, que não a habitação, há uma importante medida a implementar. É que se faça com que todas as leis portuguesas lhes sejam aplicadas, sem excepções, para que possam merecer na íntegra o respeito dos outros concidadãos. A haver diferenças que sejam consagradas na lei, e também cumpridas.
Eis duas medidas de possível acção e implementação local e que poderiam minimizar a clivagem existente entre as populações e as respectivas "arquitecturas".

Já sabemos da contestação, venham de lá agora mais sugestões/soluções...

 
At 28/5/08 20:18, Anonymous Anónimo disse...

A cidade já tem alguns exemplos de ciganos bem integrados em bairros. Moro próximo de algumas dessas famílias e posso ver isso.
Acho que se pode começar por ver outros exemplos de integração que têm sido feitos do Norte ao Sul do país e tentar encontrar uma solução adequada às famílias de Peniche.
A.C.

P.S. A propósito de integração, estive a ver alguns sites na Net e este é um exemplo do que tem sido feito a nível internacional:
http://www.acime.gov.pt/modules.php?name=News&file=article&sid=2282

 
At 28/5/08 20:24, Anonymous Anónimo disse...

Os ciganos, na sua maioria, recebem subsídios estatais e outros apoios. Por isso, acho que têm de fazer um esforço por se integrar e viver em harmonia com as outras populações.
Compreendo que tenham os seus usos e costumes mas não os podem usar para se desresponsabilizar perante a sociedade que os acolhe.
A.C.

 
At 29/5/08 09:48, Blogger jp disse...

Caro A.C.

Agradeço a sua participação.

Concordo que a integração será sempre a melhor solução, que existem alguns casos bem sucedidos e que esta deva ser sempre a meta a atingir.
Mas, no imediato, nem todos se pretendem integrar, e nesses casos a integração a que os pretendemos forçar é na realidade uma atitude xenófoba que equivale a considerar que os nossos usos e costumes são superiores e devem ser adoptados.

Por outro lado, essas integrações vão tendo um custo financeiro incomportável para as autarquias e cada vez menos subsidiado pelo paupérrimo estado. Criam também grandes situações de injustiça com outras franjas de população igualmente carenciadas, e que têm uma atitude muito mais activa na procura de emprego e na contribuição para a sociedade.
Por outro lado, um concelho com sucesso na atribuição de habitação aos ciganos, torna-se atractivo para esta etnia, fazendo com que esta problemática se torne insolúvel.

Por tudo isto penso que, nos casos não passíveis de integração imediata (que em Peniche, parecem ser todos), a solução deverá passar por contemplar uma coexistência pacífica em condições de total cumprimento da lei e no não comprometimento do harmonioso desenvolvimento urbanístico da cidade, como as que referi em prévio comentário e que nalguns casos também são contempladas no link que amavelmente nos cedeu.

 
At 1/6/08 19:11, Blogger Kruzes Kanhoto disse...

Acampamento?!?!?! Mas o campismo selvagem não é proibido?! Ou a lei é só para alguns?

 
At 8/6/08 13:29, Blogger cidadao vagamundo disse...

Eu penso que nos ultimos anos Peniche tem vindo a crescer, muito em parte às coisas boas que se têm feito.

 

Enviar um comentário

<< Home