segunda-feira, dezembro 14, 2009

A Fortaleza sem mostrar fraqueza

Dias dos Reis é um dos meus fotógrafos favoritos de Peniche.
Convenha-se que fotografar a Fortaleza, e parte do Campo da Torre, sem qualquer viatura, já vai sendo obra de mestre.

7 contributos:

At 14/12/09 13:47, Blogger manuel disse...

Peca de arte
Que lindo momento
Para abrir o meu computador , nada melhor do que isto
Manuel Joaquim Leonardo
peniche Vancouver Canada
Salvem o Hospital , Salvem Peniche. Reparem a ETAR e Sereis Salvos

 
At 14/12/09 14:37, Blogger alinhavARTE disse...

Uma fotografia espectacular, parabéns ao fotografo.
E assim sim, vale a pena contemplar uma tão bela obra.

 
At 14/12/09 17:14, Anonymous pb disse...

Fabulosa foto!

 
At 14/12/09 17:57, Blogger El Comandante disse...

Excelente!
Nos últimos tempos deve ter sido momento único.

 
At 16/12/09 08:42, Blogger manuel disse...

Lembrancas de 1950

Depois de estar detido tres meses - sim detido nao estava preso -,no meu Quartel a Escola Pratica de Artelharia em Vendas Novas fui pela primeira vez de licensa a casa .
Como tinha uma Senhora que me lavava a roupa todas as semanas desde que estava na Messe dos Oficiais Cadetes que frequentavam o seu Curso para futuros oficiais do Exercito Portugues nessa mesma unidade militar podia-me dar a esse luxo .
Quando fui informar a Senhora que nao iria precisar dos seus servicos durante o mes que ia de licensa militar a casa e no meio da nossa conversa veio a' baila o nome da minha querida Peniche .
ao saber que eu era de Peniche e ainda dentro da sua surpresa por essa casualidade , formulou-me logo de seguida um pequeno pedido :
- O sr. nao me podia fazer o favor de levar-me um pequeno farnel ao meu marido que esta preso na Cadeia do Forte de Peniche ?
Foi a vez de eu me admirar que essa Senhora tinha o marido detido na Fortaleza e por curiosidade tentando saber um pouco mais porque de repente lembrei-me que o marido da Senhora poderia ser um preso de delito comum ,ou Preso politico , enchi-me de coragem em fazer a indiscreta pergunta ,se ele estava preso como delito comum ou preso politico. Respondeu-me que estava como preso politico.
e logo tentou explicar o possivel motivo da sua prisao.
Ele trabalhava na fabrica de cortica de Vendas Novas e ele disse-me a Sra tinha por costume dizer que nao ganahava para sustentar os seus filhos com o ordenado que ganhava na fabrica e que todos os bocadinhos de folga la ia ele para as terras que amanhava ou ganhar algum dinheiro mais , trabalhando algumas horas para outras pessoas .
Nao tinha vagar para andar nas tabernas e era um marido que naquele tempo ja a Senhora classificava como um bom marido e chefe de Familia e por motivos que desconhecia ele foi preso e parar a prisao de Peniche.
Continua
Manuel Joaquim Leonardo

 
At 16/12/09 08:58, Blogger ZéPê disse...

Este magnifico registo deveria servir de marco para lançar um desafio SÉRIO aos penicheiros:

"Fortaleza de Peniche - nascida para ser mal amada. Até quando ?"

 
At 16/12/09 09:56, Blogger manuel disse...

Lembrancas de 1950
Continuacao

Prontifiquei-me logo de seguida que seria com prazer quelhe levaria o farnel
Dentro de dias cheguei a Peniche e fui logo assim que cheguei na parte da tarde desse mesmo dia entregar a cesta que a Senhora me tinha entregue.Nao tive nenhum problema para entrar na Fortaleza depois de saberem o que la ia fazer . Lembro-me que nessa altura havia uma mesa longa mesmo a' entrada e em frente a entrada para da actual Sala Nobre .
Sentado na mesa esperei pelo Senhor. a quem lhe devia entregar a encomenda .
Passado pouco tempo depois apareceu o presioneiro acompanhado por um guarda prisional que se assentaram a' mesa em frente de mim
Como nao conhecia o Senhor apresentei-me e ele tambem me confirmou o nome exacto de quem eu procurava
Lembro-me que nas poucas palavras que trocamos me perguntou :
Como esta a minha Mulher e os meus filhos ?
Mentindo um pouco pois nao tinha grande convivencia com a Senhora , era so entregar-lhe a roupa ou ir levantar mas consegui dizer que estavam todos bons e que mandavam beijinhos e queriam ver o Pai breve .
Depois de poucas palavras circunstanciais despedimo-nos e sai sem alguma complicacao
Quando entrei disse como era natural que eu era de Peniche que estava na tropa em Vendas Novas que a Senhora me lavava a roupa e que ela me tinha pedido o favor de trazer a encomenda para o marido .
Chegado a Vendas Novas tentei logo saber como poderia ajudar aquela Familia pois todos os dias os necessitados iam sempre a porta do aquartelamento aonde estava situado a messe dos cadetes
oficiais
Fui falar com o Capitao que comandava esses servicos e ele logo me disse que eu desse prioridade a essa Familia e assim eu ate conseguia roubar na despensa da Messe chouricas cruas que eram metidas dentro da grande panela em que levava a soupa e num cestinho restos do comer que sobejavam sem ninguem lhes tocar
O mais interessante foi que ainda la fui levar o farnel outra vez mas ai sim aconteceu um caso que nunca mais esqueci
antes de terminar a visita o guarda que se assentava ao lado do prisioneiro levantou-se veio ao meu lado e em voz baixa disse-me
- quando saires espera pormim a porta que eu nao me demoro.
E assim foi dai a poucos minutos apareceu e disse- me :
-Manecas nunca mais venhas aqui ou se nao podes ca ficar
Fiquei admirado por esse sr. guarda prisional tratar-me por Manecas pois eu nao o conhecia mas ele pelo jeito conhecia quem eu era
Prometi logo ali mesmo a mim que voltaria la'se nova oportunidade tivesse ocasiao mas nao fui mais ate o resto do meu servico militar
Um ano depois ainda perguntei por ele mas disseram-me que ele ja nao estava la !
Historias da minha Vida
Manuel Joaquim Leonardo
Peniche Vancouver Canada
Salvem o Hospital , Salvem Peniche Reparem a ETAR e Sereis Salvos

 

Enviar um comentário

<< Home