terça-feira, março 23, 2010

E também se ouvia o mar...

Funcionou bem a Noite de Poesia que decorreu sábado no precioso enquadramento da capela de Santa Bárbara.
Novos e habituais “dizedores” deram a conhecer variados poemas do valioso acervo poético que a nossa língua abarca.
E voltei a ouvir falar do poema Abandono de David Mourão-Ferreira, celebrizado pela voz de Amália, naquele que ficou conhecido por “Fado Peniche”, e que por aqui referi em 2006.
Acreditem que sabe particularmente bem ouvi-lo ecoar livremente entre muros da Fortaleza de Peniche.
Volto a mencioná-lo para destacar esta prenda que me foi ali referenciada, e que demonstra que os grandes poemas podem mudar drasticamente de roupagem, mas mantêm mensagens intemporais.

1 contributos:

At 26/3/10 13:14, Blogger manuel disse...

Nem um comentario por quem de direito apareceu aqui .Parece que o mar revoltoso do ultimo temporal que cheio de raiva atacou a fortaleza , levou o que restava dum explendor que agora ja nao da' proveito nem ragalias por isso se diga Paz a' sua Alma .
Ladainha Penicheira :
Salvem o Porto de Pesca , Salvem o Hospital, Salvem Peniche ,Reparem a ETAR e Sereis Salvos.
Manuel Joaquim Leonardo
Peniche Vancouver Canada

 

Enviar um comentário

<< Home